Qualidade e não Quantidade

P. Eu tenho uma duvida pertinente ao tema "Alexandrino ou não". Estaria Maxine dizendo que não há Alexandrinos pós 73? E se sim, isso faz o movimento Alexandrino atualmente bem pequeno?

 

R. Quando Alex deixou Londres em 1972 ele afirmou que seu trabalho na Craft havia acabado. Isso foi reforçado pelo foco de seus trabalhos subsequentes, dentre outros criando a 'Ordine della Luna' e 'Ordine della Nova'; e também por seu retorno ao Coven de Maxine e David para trabalhos voltados a Craft, sempre que ele o via como necessário. E de fato, sempre que ele precisava de um trabalho na Craft, seja para si ou para alguém ele chamaria Maxine, ou a convidaria para Bexhill para fazê-lo.

Um significante motivador de confusão, se dá por conta de seu ego o impedir de abdicar do titulo de "Rei das Bruxas", e das inúmeras pessoas advindas de todo o mundo para experienciar o a Craft deste "Rei". Derrick aproveita-se da situação enquanto trabalhavam juntos, o que torna essas aguas ainda mais turvas. Maxine ainda equilibrava o comportamento deAlex, mas quando ele se mudou para Bexhill isso se tornou desregrado. Este periodo foi a origem das histórias das iniciações "com o toque na testa, sentados num pub" e do "chega de mulheres para mim" em iniciações entre o mesmo sexo numa cama.

Dois casos são dignos de nota neste periodo

1 - Os membros das referidas Ordines, clamavam que a filiação junto a Orden, os conferia também Iniciação à Bruxaria Alexandrina, enquanto que claramente uma nada tinha a ver com a outra.

2 - "Os iniciados na cama" de mesmo generoque passam a iniciar outros mas que não possuiam nenhum treinamento para passar adiante. Ainda que eventualmente estes tanham adquirido Iniciações no 2° & 3° em genero crusado posteriormente, o dano já havia se consumado pela ausência de treino.

Compreensivelmente sendo o aspecto e distinção da 'validade da iniciação' e 'ausência de treino' nublado, alguns 'membros oriundos desta linha' tiveram duvidas acerca de suas iniciações, e em alguns casos algeriza a todo esse assunto.

Dada as o climax acerca desta questão, e nossa apreciação por sua candida pergunta, Maxine responde da seguinte forma:

 

"Os inapropriadamente chamados 'membros da linha' (descendentes seria um melhor termo) de Alex após 1972 eram verdadeiros buscadores da Iniciação na Craft apesar de muitas vezes, terem Iniciadores despreziveis; é triste que um treino adequado não tenha se seguido às suas Iniciações.

Estes fatos não fazem com que a cerimônia de suas Iniciações tenha sido menos potente, do que se tivessem sido treinados nas Artes Mágicas sob a supervisão de um Sacerdote ou Sacerdotisa adequadamente treinados na Tradição Alexandrina

De fato o critcismo advindo do corpo sacerdotal Gardneriano me foi doloroso e descabido, então eu entendo as reações e as feridas causadas pelo questionamento da Iniciação deles ser questionada.

No caso daqueles muitos Iniciados Alexandrinos que não receberam treino direto, posso apenas saudar sua tenacidade na continuidade de seus trabalhos no Circúlo. De qualquer forma, ficou claro quando foi lhes dito que seriam bem vindos a questionar aqueles que foram efetivamente treinados na Tradicão Alexandrina, alguns alegremente aceitaram o treinamento oferecido, enquanto outros apenas sucumbiram aos seus egos mundanos e escolheram continuar sua forma e ritualistica aparte de serem elucidados - atendendo seu próprio pedido - de que alguns de seus trabalhos eram diametralmente contraditórios aos trabalhos praticados no seio da Tradição Alexandrina.

Muitas de suas práticas eram advindas de Vivane Crowley ou Janet Farrar, das quais nenhuma completou seu treinamento na Tradição Alexandrina. Outros assimilaram Ritos e material Gardneriano a suas práticas, e insatisfeitos com o resultado, buscaram um 'dupla-iniciação' 

Não os culpo e talvez tivera feito o mesmo se estivesse em seu lugar, entretanto quando lhes é dada a oportunidade de aprender a essência do Alexandrinismo com a lógica que é pertinente ao trabalho Alexandrino, a ocultista em mim teria agarrado a oportunidade com uma duradoura curiosidade e entusiasmo pela Arte Mágica que me possibilitaria adaptar o recém aprendido conhecimento do modo Alexandrino às minhas proprias praticas.

Texto original em Ingles de Sharon Day e Maxine Sanders

Tradução para a lingua Portuguesa de Rafael Brandão
acerdote da Tradição Alexandrina da Witchcraft
S
ão Paulo, Brasil  

 

RESPOSTA DE MAXINE SANDERS NA CONTINUAÇÃO DOS DESENVOLVIMENTOS CAUSADOS PELO TEXTO ACIMA

Olá,

O silêncio é poderoso.
E tenho me mantido em silencio no desdobrar dos atuais eventos

Agora que Sorita d’Este resignou-se da Tradição Alexandrina de Bruxaria, eu posso responder a aqueles que que se perguntavam o que havia ocorrido.

Mas antes que eu o faça, sinto-me compelida a responder aos indivíduos que se sentiram na necessidade de julgamentos hipócritas (vocês sabem quem são), não apenas ao meu respeito, mas das pessoas próximas a mim.

Alex costumava dizer “Vá direto ao ponto”.

O ponto, que se perdeu neste drama, é que a Sr. d’Este apresentou uma questão a Sharon, pedindo meu ponto de vista num tópico especifico. Nós demos-lhe uma resposta informativa e detalhada de boa-fé e boa-vontade. Isto não foi recebido da mesma maneira que foi dado. Ela sentiu-se ofendida e nos respondeu de maneira rude e desrespeitosa.

Este seria o fim da questão, se não uma difamação de maneira pública não se seguisse.

Após 50 anos de descabido egoísmo e agressiva falácia, eu assumi que detinha o direito de responder à minha maneira e no meu tempo ao invés de atender uma demanda populista.

Entretanto e contanto que fique claro, um maior esclarecimento será feito.

Enquanto isso, aos hipócritas, eu me questiono por quanto tempo teriam mantido o silencio antes de ignorar ou responder a aqueles que espalham inverdades maliciosas e estocam má vontade

O silencio é louvável – até a um certo ponto.

Maxine Sanders

Tradução de Rafael Brandão, Sacerdote da Tradição Alexandrina da Witchcraft
São Paulo, Brasil.

 

TEXTO ORIGINAL EM INGLES

Hello,

Silence is powerful.

 I have remained silent whilst recent events unfolded.

 Now that Sorita d’Este has resigned from The Alexandrian Tradition of Witchcraft, I can respond to those querying what happened. Before I do, I feel it necessary to respond to those individuals who have felt the urge of self-righteous judgment (you know who you are), not only of myself but also of my close associates. 

Alex used to say, “always stick to the point”. 

 The point, which was lost in the drama, was that Ms d’Este presented a question to Sharon asking for my views on a specific topic.  We gave an informative, detailed response in good faith and with good-will.  It was not received in the vein it was given.  Offence was taken and she responded to us in a rude and disrespectful manner.

 That would have been the end of the matter if a public slandering of ourselves had not ensued.

 After 50 years of this egotistical nonsense and aggressive prattle, I take it as an earned right to respond in my own time and manner rather than at the demand of a supervised mob.

 Be assured, however, further clarification will be made on this matter.

 Meanwhile, as for the self-righteous, I wonder how long you would have kept the silence before either giving up or responding to those who spread malicious untruths and garner ill-will.

 Silence is dignified – up to a point. 

 Maxine Sanders